quarta-feira, 7 de julho de 2010

Um Trem Para a Estrelas


São 7 horas da manhã
Vejo Cristo da janela
O sol já apagou sua luz
E o povo lá embaixo espera
Nas filas dos pontos de ônibus
Procurando aonde ir
São todos seus cicerones
Correm pra não desistir
Dos seus salários de fome
É a esperança que eles tem
Neste filme como extras
Todos querem se dar bem

Num trem pras estrelas
Depois dos navios negreiros
Outras correntezas

Estranho o teu Cristo, Rio
Que olha tão longe, além
Com os braços sempre abertos
Mas sem protejer ninguém
Eu vou forrar as paredes
Do meu quarto de miséria
Com manchetes de jornal
Pra ver que não é nada sério
Eu vou dar o meu desprezo
Pra você que me ensinou
Que a tristeza é uma maneira
Da gente se salvar depois


Num trem pras estrelas
Depois dos navios negreiros
Outras correntezas

No dia 07 de Julho de 1990, o MAIOR POETA dos últimos tempos foi embora e pegou o seu Trem Paras as Estrelas. Agenor de Miranda Araújo Neto (Cazuza)
Queria viver 70 anos, na terra vieveu apenas 32, mas em nossos corações viverá eternamente.


Um comentário:

  1. Esse eh o kara!! ;D
    qeria ter ido a apenas um show dele :/

    ResponderExcluir